Skip to content Skip to footer

Meu Caminho de Cora, Primeiro Episódio! Encontrando as raízes do Goiás

Esse é o primeiro episódio da série Caminho de Cora Coralina feito pelo ciclista Pablo Amorim, que percorreu os 300 km que ligam a cidade de Corumbá até a cidade de Goiás. Nesse primeiro dia, Pablo Amorim pedalou 51,6km dos 3 primeiros trechos do Caminho, que ligam Corumbá a Pirenópolis, um percurso técnico, passando por belas paisagens de rios, serras e cachoeiras e que termina na bela Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário.

01 – Corumbá de Goiás – Salto de Corumbá

Este trecho tem início na Praça da Matriz de Corumbá de Goiás, em frente à Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha de França, indo até o Salto de Corumbá. Percorre ruas tradicionais da cidade, mostrando os casarões coloniais, seguindo pela Cava, antiga trilha que faz parte do cenário das primeiras explorações de ouro ocorridas na região. Segue cruzando o bairro Dona Feliciana onde, ao final, inicia o caminho por estrada de terra até o km 11, percorrendo daí até o Salto de Corumbá pelo acostamento da BR 414 por 4,5 km. Este trecho requer muito cuidado, pois a BR 414 é muito movimentada, ande sempre no sentido oposto ao trânsito de veículos. O Salto de Corumbá oferece hospedagem, alimentação e uma ampla área de recreação e natureza, além do imponente salto. Distância: 14,5 km Dificuldade: Moderada Tempo: 5 horas

02 – Salto de Corumbá – Pico dos Pireneus

O Caminho margeia o Salto de Corumbá, cujas águas formavam um grande poço que, de tanto ouro depositado no fundo, levou os exploradores a desviarem o rio e abrirem um canal para esgotá-lo, possibilitando a retirada do precioso metal. A entrada no Parque Estadual dos Pireneus se dá pelo município de Cocalzinho, próximo à Missão Vida na Fazenda do senhor Gilberto, a entrada deve ocorrer até às 16h. Daí, os visitantes se deparam com formações rochosas em arenitos e quartzitos, datadas do período pré-cambriano, cruzam o Cerrado Rupestre até chegar ao Pico dos Pireneus, a 1385 metros de altitude, onde há uma capela dedicada à Santíssima Trindade. Do cume é possível avistar em 360 graus o Parque, as cidades de Cocalzinho, Corumbá de Goiás e Pirenópolis, e até onde a vista alcançar. A descida deve ser feita até às 17h. Aqui você deverá ter apoio para o resgate ou seguir até um ponto de hospedagem ou alimentação. Distância: 12,7 km Dificuldade: Moderada Tempo: 5 horas

03 – Pico dos Pireneus – Pirenópolis

Um dos trechos mais ricos em paisagens e águas e o mais bem estruturado em apoios aos caminhantes. Cruza aproximadamente 11 quilômetros do Parque Estadual do Pireneus, transpõe o Divisor Continental de Águas, que separa as bacias platina e tocantinense, e segue rumo a Pirenópolis por antigas estradas e trilhas em meio ao Cerrado. O Parque Estadual da Serra dos Pireneus apresenta intrigantes formações rochosas datadas de mais de 1 bilhão de anos, muitas espécies endêmicas do Cerrado e é abrigo de uma variedade de animais e aves, entre elas a águia-chilena. Ao longo do Caminho de Cora Coralina, existem diversos atrativos: a Cachoeira Sonrisal, ainda no Parque; a Reserva do Abade com sua monumental queda d’água, próxima ao Caminho; o Refúgio Avalon e seu jardim sensorial; o Camping Sombra da Mata; e as Cachoeiras Usina Velha e Meia Lua. O Caminho segue pela trilha das Pedreiras* até Pirenópolis, margeando o Rio das Almas em seu último trecho pela trilha Bandeirinha. *A entrada na Pedreira deve ser feita até às 16h. Caso não consiga acessar até esse horário, siga pelo asfalto até a cidade. Distância: 24,4 km Tempo: 8 horas Dificuldade: Difícil

Deixe um comentário

0/5